Guia para criar o site da sua agência de viagens

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Guia com 10 passos necessários para criar o site de sua Agência de Viagens de forma profissional e com ferramentas acessíveis.
site agência de viagens
Tempo de leitura: 8 minutos

A tecnologia vem avançando a passos largos e nos permite realizar tarefas, antes vistas como complexas, de maneira simples. Este é o caso da criação do site da sua agência de viagens e que vou falar neste artigo.

Poucos anos atrás seria necessário dominar uma linguagem de programação e técnicas de web design para marcar sua presença online. Somos testemunhas do surgimento de plataformas e ferramentas que permitem que qualquer pessoa crie seu site e elas vêm evoluindo constantemente, permitindo resultados cada vez mais profissionais.

Além disso, preciso te dizer que ter o site da sua agência de viagens na internet não é apenas um cartão de visitas ou uma vitrine digital, mas o ponto central da sua estratégia e vida profissional na internet.

Na última semana publiquei 4 plataformas onde você mesmo pode criar o site da sua agência de viagens, no entanto antes de colocar a mão na massa é preciso planejamento. Por isso, bloco de anotações na mão, ajeite-se na cadeira e prepare aquela xícara de café pois vou entregar aqui os passos que você precisa dar para criar o site da sua agência de viagens.

  1. Tenha um objetivo definido
  2. Registre seu domínio
  3. Escolha a plataforma
  4. Elabore o layout e estrutura do site
  5. Crie conteúdo de valor
  6. Foque na experiência do usuário
  7. Teste e obtenha feedback antes de lançar
  8. Conheça e aplique estratégias de SEO
  9. Interaja com os visitantes
  10. Medir, medir, medir (e testar) sempre

Tenha um objetivo definido

Em todas ações de nossa empresa precisamos traçar as estratégias e objetivos a serem alcançados. O site da sua agência de viagens deve demonstrar de forma clara o que é o seu negócio e como você pode ajudar o seu cliente em suas necessidades. Para isso pode ter algumas formas diferentes, tais como:

  • Um blog para compartilhar conhecimento, inspirar e demonstrar sua autoridade dentro do seu nicho.
  • Uma landing page promovendo uma campanha específica, como um grupo para determinado destino, por exemplo.
  • Um site institucional para apresentar seu portfólio de serviços e depoimentos de clientes.
  • Um site de vendas online para os visitantes poderem comprar ou reservas viagens de forma online.

Seu site pode ser uma mescla de um ou mais exemplos acima ou de outros tantos, contudo deve focar em um propósito único para que não confunda o visitante e possível cliente.

Caso você opte por ter um site de vendas online, deverá levar em consideração os investimentos mais elevados (sobretudo de marketing), para concorrer com outras Agências de Viagens Online, conhecidas como OTAs. Além disso, certamente precisará de ferramentas específicas que não iremos contemplar neste artigo por ser um tema mais complexo e que merece um conteúdo exclusivo.

Registre seu domínio

O nome do domínio é o seu endereço na internet. É por ele que seus visitantes irão acessar o seu site e por isso a importância de que seja um nome memorável. Procure nomes curtos (mais fácil de lembrar), simples (sem acentos ou símbolos), chamativo (de preferência que já traga no nome seu objetivo principal) e transparente (relacionado ao nome e marca da sua empresa).

Devo lembrar que ter o domínio registrado é diferente do registro da marca, este segundo deve ser providenciado junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI. Para evitar dores de cabeça futuras, faça uma pesquisa e verifique se não há outra empresa detentora do nome ou marca que você deseja utilizar.

Escrevi um artigo aqui no blog explicando com mais detalhes como fazer este registro.

Além do acesso ao seu site, o domínio é o primeiro passo para você ter o e-mail @suagencia, como também já falei aqui no blog.

A extensão mais usada no Brasil, naturalmente, é a .com.br e por isso é bastante comum que o nome que deseja não esteja disponível. Neste caso você pode optar por outras extensões de domínio de alto nível (TLDs), como .com, .tur.br, .net.br

Escolha a plataforma

Você já tem um objetivo estratégico, um domínio registrado e está na hora de escolher a plataforma onde você irá construir seu site

Te convido novamente para ler sobre as plataformas que indiquei neste outro artigo. Todas elas são baseadas no conceito de CMS (ou content management system), que facilitam não só a criação, mas também manutenção do conteúdo do seu site. Mesmo delegando a tarefa de criar o site para um profissional ou empresa de marketing, a manutenção dos conteúdos poderá ser feita por você de forma simples.

Para decidir sobre a melhor ferramenta para o seu site observe as funcionalidades de cada uma, tente identificar se é possível resolver suas necessidades e implementar as funcionalidades que deseja. Muitas das ferramentas possuem extensões (plug-ins), grátis ou pagas que ampliam e muito as possibilidades.

Coloque na ponta do lápis os valores envolvidos na criação e manutenção do site, não só a curto prazo, mas a médio e longo também. Há ferramentas que já contemplam a hospedagem outras, como o caso do WordPress, embora seja uma plataforma gratuíta necessita de um serviço de hospedagem.

Outro fator que deve ser ponderado na decisão da plataforma é a curva de aprendizagem, ou seja, a dificuldade (ou facilidade) de aprender e dominar a ferramenta e todas as funcionalidades que ela oferece. Leve em consideração aquela que oferece melhores possibilidades para um crescimento de seu site, seja de quantidade de acessos, de funcionalidades ou quantidades de páginas.

Por último e não menos importante, busque informações sobre o suporte (em caso de ferramentas pagas) ou comunidade (para soluções open source) e converse com aqueles que já utilizam as ferramentas que você está considerando. Um boa ou má experiência de um amigo ou profissional conhecido pode te ajudar a fazer a escolha certa.

Elabore o layout e estrutura do site

Antes de começar a elaborar o layout do seu site recomendo que você visite muitos outros sites e adote um olhar crítico do que encontrar na internet. De sites de concorrentes a grandes empresas de outros segmentos. Olhe tudo e analise (principalmente nos grandes portais): cada menu, página, rodapé, função que achar interessante e entenda o que funciona e o que não funciona do ponto de vista de usuário.

O layout deve ser acima de tudo funcional e agradável a navegação. Você já visitou um site que em menos de 1 minuto quis sair e nunca mais voltar? A maioria das ferramentas de CMS já possui templates próprios e há alguns sites que oferecem templates adicionais. Estes templates podem ser utilizados como modelo ou ponto de partida do seu site, além de poupar muito tempo.

Sobre a estrutura, defina quais e quantas páginas serão criadas. Normalmente há uma página para cada sessão do site, como quem somos, blog, contato, mas em alguns casos é possível criar um site de página única, como as landing pages.

Provavelmente você está lendo este artigo a partir do seu celular. A maioria das visitas do meu site (e do blog) são de dispositivos móveis. Esse é apenas um dos motivos para você se preocupar em responsividade. Seu site precisa se adequar ao tamanho da tela do seu visitante e felizmente grande parte das ferramentas já considera isso e possuem configurações específicas para estes tipos de dispositivos. Lembre-se de configurá-las!

Crie conteúdo de valor

De nada adianta um lindo layout sem um conteúdo rico e relevante. Busque utilizar conteúdos e materiais originais, ou seja, produzidos por você. Isto inclui textos, vídeos e fotos.

Caso necessário utilizar conteúdo de terceiros certifique que obteve o conteúdo de maneira legal para evitar problemas jurídicos. Existem bancos de imagens e de vídeos gratuitos na internet, alguns deles apenas com a exigência de dar crédito à plataforma.

Em caso de textos revise sempre antes de publicar para evitar erros de ortografia. Existem técnicas de copywriting para textos persuasivos e vendedores. Estude como você pode criar textos diretos e objetivos de maneira que eduque, esclareça e inspire seus leitores.

Foque na experiência do usuário

A experiência do usuário (em inglês, customer experience) é uma matéria que também deve ser entendida e vai além do layout bonito e do conteúdo de valor.

O site da sua agência de viagens deve oferecer uma navegação fácil e agradável observando algumas noções fundamentais como:

  • Certifique que o Menu possui links corretos e apareça em todas as páginas do seu site
  • Uso correto da paleta de cores. Normalmente 3 cores (principal, secundária e destaque)
  • Uso de CTAs (call to action) para direcionar as ações dos visitantes
  • Uso de fontes legíveis tanto no desktop quanto no mobile. Assim como as cores, a quantidade deve ser moderada
  • Use o rodapé para incluir informações de contato, informações legais (CNPJ e razão social) da sua agência e links úteis

Teste e obtenha feedback antes de lançar

Se você não tem equipe para compartilhar seu mais novo site peça ajuda e opinião para amigos e familiares.

Peça a eles que revisem os textos, a versão mobile, os links (internos e externos), formulários e dê feedback sobre a facilidade de navegação e velocidade de carregamento do site.

No caso de links externos é recomendável que sempre abram em outra janela do navegador para evitar que seu visitante saia do seu site.

Se o carregamento do site for um problema, busque soluções para redução e otimização no tamanho das imagens e considere a utilização de uma ferramenta de CDN (Rede de Entrega de Conteúdo). CDN é uma plataforma de servidores distribuídos globalmente e que ajudam a minimizar atrasos no carregamento de conteúdo de sites.

Conheça e aplique estratégias de SEO

SEO significa Search Engine Optimization, ou otimização dos motores de busca e com utilização de estratégias corretas você poderá ser encontrado nas buscas do Google e de outros motores de busca.

Participar das etapas de topo de funil junto ao seu cliente potencial e visitante do seu site poderá fazer a diferença positivamente na sua agência.

Claro que esta não é uma tarefa simples! São mais de 200 indicadores que compões os algoritmos que classificam os sites que vão da responsividade das páginas, tamanhos de fontes, certificados SSL, qualidade do conteúdo, competitividade do seu mercado e tantos outros.

É importante definir as palavras-chave que deseja utilizar e ser “encontrável”. Tenha uma palavra-chave principal e um punhado de secundárias e foque em conteúdos em diferentes páginas utilizando estas palavras-chave. Muitas das plataformas de criação de sites já possuem otimização para SEO (alguns com plugins que podem ser instalados gratuitamente), onde você poderá incluir em cada página ou post do blog do que se trata aquele conteúdo. Estas informações que são chamadas de metadados são muito úteis para indexação do seu conteúdo nos buscadores.

Interaja com os visitantes

Como eu já disse na introdução deste artigo: seu site precisa ser o ponto central da estratégia de comunicação da sua agência. Vai fazer uma postagem nas redes sociais!? Faça um CTA e direcione para seu o site! Soltou um e-mail marketing!? CTA direcionando para seu site…

Além disso, essa visita e ações do seu visitante poderá ser “registrada” pelos scripts (também conhecidos como pixel) do Facebook, Google e outros, possibilitando que você faça anúncios direcionados e relevantes para estes visitante. Desta forma você consegue “continuar o contato” com seu potencial cliente mesmo depois que ele sair do seu site. Por isso, lembre-se de configurar ferramentas como o Google Tag Manager (GTM) e os scripts de rastreamento das redes que pretende anunciar futuramente.

Outro conselho é: Tenha atenção aos pontos de contato disponibilizados no site e sempre responda aos visitantes, seja um contato via formulário, chat no site ou comentário em um post do seu blog.

Este é um erro muito comum em diversos blogs (e até algumas redes sociais). As empresas não se atentam aos comentários e interações em blog e perdem oportunidades de ouro de interagir com um possível cliente.

Medir, medir, medir (e testar) sempre

Só conseguimos melhorar aquilo que medimos. No GTM, além de scripts de rastreamento de redes sociais você poderá incluir ferramentas de monitoramento como o famoso Google Analytics. nele você terá acesso a dados e estatísticas da quantidade de visitantes do seu site, as páginas mais visitadas, o tempo que cada visitante fica no seu site, as origens dos visitantes e mais uma porção de métricas úteis para que você entenda como pode crescer e melhorar o desempenho.

Outra ferramenta essencial é o Google Search Console. Nela você consegue saber a classificação das suas páginas nas buscas do Google e todos os detalhes sobre seu tráfego orgânico.

Eu não poderia deixar de falar (embora mereça um artigo só pra este tipo de ferramenta) das ferramentas de mapa de calor (heatmaps), como a Crazy Egg, o Hotjar e a que eu utilizo, Zoho PageSense. Os heatmaps te mostram através de cores quais partes do seu site os visitantes olham, clicam e passam mais tempo lendo. Gravações de navegação aleatórias e de forma que não identifique o visitante também são feitas. Com este dados você poderá otimizar ainda mais as experiências dos seus visitantes e converter ainda mais vendas.

E aí, gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário e vamos criar o site da sua agência de viagens.

Daniel Turbox

Daniel Turbox

MBA em Tecnologia para Negócios com ênfase em Data Science, Big Data e Inteligência Artificial pela PUCRS, bacharel em Turismo e especialização em Organização e Gestão de Eventos pela Universidade Anhembi-Morumbi. Estou no mercado há 19 anos com experiência em diversos segmentos do turismo. Meu maior prazer é ensinar através de cursos e palestras!

Deixe um comentário

Rolar para cima